Telemedicina no Brasil: do impasse ao avanço • Blog | Ancode Tecnologia

Telemedicina no Brasil: do impasse ao avanço

Compartilhe nas Redes Sociais
Leia em: 3 minutos
Family-in-macbook-small-360x260 Telemedicina no Brasil: do impasse ao avanço

A  telemedicina é uma metodologia que utiliza a tecnologia como ferramenta para troca de informações entre médicos e pacientes. Ela possibilita que os serviços médicos cheguem a todos os lugares, indo além de hospitais e consultórios, e oportuniza que o paciente realize consultas, exames e até cirurgias à distância, com o uso de robôs que podem ser controlados por um especialista em qualquer lugar do mundo.

Quais os benefícios da Telemedicina?

A Telemedicina foca nos princípios diagnósticos, terapêuticos e metodológicos que melhoram o cuidado assistencial ao paciente. Suas vertentes podem garantir um laudo radiológico mais rápido e de boa qualidade, um ECG que pode salvar vidas ou o aperfeiçoamento de práticas cirúrgicas minimamente invasivas que podem garantir um prognóstico mais favorável ao doente.

Com a telemedicina, os médicos e enfermeiros podem fazer diagnósticos muito mais ágeis para seus pacientes. Além disso, serve como instrumento para clínicas que se localizam em áreas de difícil acesso e não contam com um médico especialista para fazer esses diagnósticos, essa é uma forma eficaz, simples e de baixíssimo custo para se contar com a ajuda especializada. 

Diferenças entre Telessaúde e Telemedicina

Embora sejam correlatos, ambos os termos tem conceitos diferentes, veja a seguir suas distinções:

Telessaúde: é um conceito amplo de cuidados com a saúde. Surgiu, segundo relatos históricos, no início do século XX, com a invenção do estetoscópio e os avanços na transmissão de rádio A Telessaúde representa todas as atividades envolvidas nos serviços relacionados a saúde à distância, incluindo, por exemplo: a odontologia, terapia física e ocupacional, monitoramento, saúde doméstica, educação, gestão, aconselhamento, manejo de doenças crônicas, gestão de desastres, entre outras.

Telemedicina: a Telemedicina é um componente da abrangente Telessaúde, e teve seu surgimento na década de 70, sendo utilizada como forma de levar atendimento médico a áreas rurais nos EUA. Como já dissemos, ela enfatiza o paciente, e foca em princípios que possibilitam melhorar o cuidado assistencial do mesmo.

Telemedicina no Brasil

A Telemedicina é uma metodologia que vem se desenvolvendo conforme a Tecnologia evolui. Veja a seguir alguns exemplos do uso de Telemedicina no Brasil.

Um projeto no Hospital de Câncer de Barretos, no interior paulista, em 2011 já utilizava fotos enviadas por e-mail para facilitar o diagnóstico de câncer de pele. O projeto foi criado com a intenção de reduzir custos desnecessários com a locomoção dos pacientes.

Na cidade de Porto Alegre, desde 2008, a tecnologia possibilita às gestantes a realização de ultrassonografias obstétricas no próprio posto de saúde, medida que diminuiu o tempo entre a marcação e a realização dos exames, de três a quatro meses para cerca de 30 dias. Os exames realizados em menor tempo, possibilitam que os casos complexos identificados, sejam logo encaminhados para o especialista, melhorando a qualidade dos cuidados com a saúde da gestante e reduzindo os problemas durante o parto.

Outro bom exemplo do uso da Telemedicina é do Hospital Albert Einstein, que em parceria com a Amil criou um aplicativo de celular para que pacientes de um plano Premium da Operadora de saúde possam se consultar de maneira remota. O plano cobre aproximadamente 180 mil beneficiários, e as consultas remotas, disponíveis 24 horas por dia, terão como foco solucionar queixas comuns como: dores de cabeça, diarreias, gripes e ardor dos olhos.
A iniciativa tem causado uma série de discussões sobre o tema, uma vez que o CFM passa por atualização na regulamentação da prática da Telemedicina no país.

Sobre a regulamentação da Telemedicina

O Conselho Federal de Medicina realizou em Fevereiro deste ano, a atualização da legislação que rege a prática da Telemedicina no país, porém mediante criticas e protestos de entidades da classe médica, a medida foi revogada pelo Conselho, que abriu uma consulta pública a fim de angariar propostas para melhorias na regulamentação.

Apesar de toda discussão sobre o assunto, o que se pode afirmar é que com a regulamentação no Brasil, a Telemedicina criará oportunidades para que os médicos tenham a possibilidade de crescer profissional e financeiramente. Abrem-se ensejos aos especialistas, que, inclusive, poderão ajudar a mais pessoas, à distância. Utilizada de forma adequada e regulamentada, a Telemedicina será favorável para os médicos e principalmente para a sociedade!

Nos dê a sua opinião, o que você acha sobre o uso da telemedicina na saúde pública?