Revolução tecnológica: entenda Iot na saúde • Blog | Ancode Tecnologia

Revolução tecnológica: entenda Iot na saúde

Compartilhe nas Redes Sociais
Leia em: 4 minutos
IoT-in-healthcare Revolução tecnológica: entenda Iot na saúde

Nos últimos 30 anos o salto no desenvolvimento de novas tecnologias foi sem precedentes e estar inserido no mundo digital não é mais uma opção. A maneira como as pessoas se relacionam, a forma como trabalhamos, estudamos, vivemos… nada mais é como antes. 

  A velocidade de processamento de informações é crescente, pois as pessoas querem soluções cada vez mais rápidas e moldadas às suas necessidades. Diariamente surgem novos aplicativos para Smartphone, Smart Tv, Smart Home, afinal essa é uma era Smart, cujo o foco é facilitar o dia-a-dia, interligar as funcionalidades dos equipamentos, em outras palavras, a chamada internet das coisas.

Dentre as principais tendências em tecnologia está a popularização da IoT(Internet of Things), impulsionada pelas redes de quinta geração (5G), pela nuvem, pelo poder de processamento de grandes volumes de dados e pela inteligência artificial (IA), tem como intuito interligar os objetos conectados, sem a necessidade de interferência humana.

Tais objetos podem ser de quaisquer tipo, desde uma cafeteira que é ligada através de um comando pré programado de um Smartphone, até câmeras de vigilância no trânsito, que conectadas a um sistema, calculam a quantidade de vagas disponíveis na localidade, em tempo real.

Exemplos da internet das coisas na saúde

Na medicina, a IoT  tem tido um papel importante nos processos, seja ao ministrar medicamentos, facilitar procedimentos de análises clínicas e diagnóstico por imagem, tratamentos estes que podem ser administrados e monitorados mesmo à distância.

Existem estudos avançados da tecnologia nas mais variadas aplicabilidades, e seu uso cada vez mais vem ganhando funcionalidades. 

Para se ter uma ideia, a tecnologia IoT pode atuar em várias frentes beneficiando o setor. Confira alguns benefícios do IoT na medicina:

IoT em benefício da saúde da mulher

Um bom exemplo de IoT aplicado na saúde da mulher, é o dispositivo criado pela empresa britânica Elvie, que permite bombear leite em casa, no trabalho ou em movimento, pois não tem fios . O wearable pode ser utilizado com discrição, tem conexão Bluetooth e é ativado via Smartphone. A empresa também desenvolveu um dispositivo específico para exercícios íntimos, a fim de evitar infecções urinária, promovendo melhor controle da bexiga, recuperação pós-natal mais rápida e melhora da vida sexual da mulher. O Gadget tem conexão com  Smartphone e disponibiliza uma série de exercícios, permitindo acompanhar sua execução em tempo real.

Auxiliar o transporte e armazenamento de vacinas

É preciso manter o controle de qualidade e gerenciar itens sensíveis enquanto eles estão em trânsito, como por exemplos, as vacinas e a insulina. Estes medicamentos precisam de cuidados extras durante seu transporte, pois são muito sensíveis a alterações de temperatura, podendo ter sua eficácia perdida se não forem transportados e armazenados devidamente. 

Em meio a esta necessidade, foi criado  sistema , chamado Vaccine Smart Fridge, funciona através de sensores que se encontram na própria geladeira portátil, conectados com uma plataforma IoT, que monitoram em tempo real o estado dos medicamentos, assim como sua quantidade atualizada.

Desta forma, os profissionais podem levá-las para qualquer lugar, com a garantia de que mais pessoas poderão ser vacinadas sem prejuízo.

IoT na medicina esportiva 

A empresa brasileira E-sporte criou uma ferramenta fisioterápica chamada E-lastic. O objetivo é medir a evolução de pacientes e atletas que fazem exercícios físicos com um elástico de ginásticas. Os dados coletados no treino, a partir de uma peça acoplada no próprio elástico, são mandados para um aplicativo que mostra gráficos que permitem acompanhar os avanços dos usuários. 

Acompanhamento da doença de Parkinson

IoT-in-healthcare Revolução tecnológica: entenda Iot na saúde

O pequeno protótipo de sensor de unha da IBM usa IA para ajudar os médicos a gerenciar melhor a doença de Parkinson.

Visando medir a progressão da doença, cientistas da IBM inventaram um pequeno dispositivo sem fio, que usa Inteligência Artificial e fica na ponta dos dedos dos pacientes.

 Com a combinação de sensores, dispositivos móveis e aprendizado de máquinas que fornecem informações sobre sintomas em tempo real, em pacientes que sofrem com essa condição e perdem gradativamente suas funções motoras devido aos danos no sistema nervoso central, os quais causam rigidez e tremores, dentre outras consequências.

Embora ainda não tenha cura, o tratamento da doença é feito com medicamentos que visam controlar os sintomas, dessa maneira, possibilitam que os pacientes tenham maior qualidade de vida. 

Emulação humana feita através da IoT

A empresa Emulatebio criou um sistema de emulação humana,  que inclui chips que simulam órgãos, hardware e aplicativos, conjunto esse que oferece aos pesquisadores um novo padrão para prever como um ser humano pode responder a medicamentos, produtos químicos e alimentos com maior precisão e controle do que a cultura de células ou testes baseados em animais métodos. 

Hoje, a IoT é considerada o grande passo daqueles que querem de fato viver a transformação digital. Espera-se que, no futuro próximo, todas as coisas estejam conectadas à rede, em suma, se possa dar mais utilidade a produtos e objetos. 

Na saúde novas informações sobre pesquisas surgem a todo instante, visando reduzir significativamente as reações a tratamentos, consequentemente, controlar de maneira mais assertiva cada um dos sintomas que limitam a vida dessas pessoas de alguma maneira.

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais!